Brooklyn, NY, EUA — O caminho para vencer um campeonato nem sempre é regular e previsível. Há períodos de dificuldades, desvios de rota, dragões para matar, demônios para combater. Algumas equipes podem tomar o caminho errado quando estão prestes a chegar ao destino, e outras podem se atolar em infortúnios, mas todos os campeões têm algo em comum: conseguiram chegar até o final. No sábado, no Barclays Center, a London Spitfire fez história ao se tornar a primeira equipe a levar o troféu da Liga Overwatch, uma conquista merecida após uma longa e tortuosa temporada.

Após o momento da vitória e a fila de apertos de mão, mas ainda antes do confete parar de cair, o capitão da London Jae-Hui “Gesture” Hong se virou para o público. Foi a primeira vez em que ele saiu do transe durante todo o fim de semana, concentrado que estava na tarefa diante de si, mas agora ele podia finalmente absorver tudo: o público, a cacofonia, o significado de tudo que ele e sua equipe tinham acabado de conquistar.

Tivemos muitos momentos difíceis durante a temporada, mas hoje somos campeões e estou muito feliz. Foi uma apresentação incrível. Obrigado a todos que torceram por nós até o fim!! #AcesHigh

— Gesture (@GestureOW) 28 de julho de 2018

Ao redor dele, os colegas de equipe se parabenizavam, todos em diferentes estágios de alívio, empolgação e alegria. Nem os técnicos ficaram imunes: Cheol-Yong “Agape” Hong chegou às lágrimas com a conquista de sua equipe. Como ele explicou depois, “muita coisa que aconteceu precisou ser corrigida emocionalmente e em termos de jogo, e, quando o momento da vitória estava chegando, todas essas coisas passaram voando pela minha cabeça, e foi por isso que eu acabei ficando meio mexido.”

A história da jornada da Spitfire até o troféu do campeonato é um clássico instantâneo. O potencial sempre esteve lá, com os elencos contratados das potências coreanas Kongdoo Panthera e GC Busan, e a equipe foi considerada favorita durante a primeira metade da temporada. Uma segunda metade desanimadora parecia ter tirado o fôlego da equipe, o que deixou o renascimento nos playoffs ainda mais impressionante quando ela eliminou a Los Angeles Gladiators e a Los Angeles Valiant no caminho para a Grande Final.

Assista ao confronto completo da Grande Final | Fusion x Spitfire | 28 de julho

O último obstáculo era a inconstante Philadelphia Fusion, mas o jogo agressivo e coordenado da Spitfire se provou difícil de conter na série de melhor de três dividida em dois dias para decidir qual equipe seria a campeã da liga inaugural. A London venceu por 3 a 1 na sexta e emendou com uma vitória ainda mais elástica por 3 a 0 no sábado, que demonstrou o ápice do jogo de equipe em Overwatch.

Junkertown, o mapa de abertura, foi definido pelas combinações devastadoras de habilidades supremas que se escoraram no excelente desempenho de Gesture com Orisa, usando Parados! para prender heróis inimigos enquanto seus colegas se posicionavam para causar o máximo de dano.

Alto lá... @GestureOW @PROFIT_OWL #OWL2018 #TheFirstFinals

AO VIVO: https://t.co/U6dIipgQGs pic.twitter.com/0nM37poeGp

— Overwatch League #TheFirstFinals (@overwatchleague) 28 de julho de 2018

A Fusion descreveu a experiência de jogar contra a dupla como “desconfortável” e “irritante”, elogios de primeira quando se trata de tanques.

“Fury e eu temos uma compreensão muito boa desse meta e de como temos que jogar mecanicamente em cada situação”, disse Gesture. “Se vamos usar habilidades supremas e encadeá-las como equipe para criar situações favoráveis nas lutas, sabemos exatamente quando usá-las e como precisamos nos organizar.”

“O principal é que eles abrem muito espaço para a gente poder causar dano livremente, e é daí que vem a nossa força”, acrescentou o DPS Jun-Young “Profit” Park, que foi escolhido como MVP da Grande Final após registrar estatísticas de encher os olhos com um punhado de heróis. Conhecido principalmente pelo seu jogo com Tracer e Genji antes da Liga Overwatch, a melhora de Profit com Brigitte e Hanzo foi crucial para a Spitfire nos playoffs.

Eu sou o MELHOR DPS do mundo

— 박준영 (@PROFIT_OWL) 28 de julho de 2018

Profit, Gesture e o suporte reserva Won-Sik “Closer” Jung agora conquistaram três títulos importantes cada como colegas de equipe, mas, para os outros quatro jogadores da Spitfire, a vitória de sábado foi a primeira, e por esse motivo ainda mais doce. “Tem um significado muito profundo pra mim porque é a primeira temporada e o primeiro campeonato da Liga Overwatch”, disse Fury.

“Com certeza é uma grande honra poder vencer em um palco enorme desses”, acrescentou Jong-Seok “Nus” Kim. “Quero agradecer aos técnicos, também. Eu cheguei na equipe pelas seletivas, e os técnicos me deram a motivação para seguir adiante.”

A volta da vitória da Spitfire começou de imediato com uma boa carne no jantar — “Jack vai cuidar de tudo”, garantiu Seung-Tae “Bdosin” Choi à mídia — e uma passada na festa pós-final, onde a equipe devidamente comemorou.

A melhor noite de todas pic.twitter.com/bZ3BKuwZAr

— Fury (@Furyy_d) 29 de julho de 2018

O proprietário da Cloud9, Jack Etienne, também revelou planos para uma longa visita a Londres em outubro para que os jogadores possam conhecer os torcedores locais, que apoiaram a equipe de longe mesmo com a diferença de fuso horário. Enquanto isso, quatro jogadores estarão no All-Star Game na Blizzard Arena, e Fury jogará pela Coreia do Sul na Copa Mundial de Overwatch 2018. Eles terão tempo para curtir o legado que deixaram, não apenas como os campeões atuais da liga, mas também como a equipe mais temível, e para melhorarem ainda mais.

“Na temporada que vem, quero voltar para a liga como um jogador ainda mais forte, e espero que as equipes adversárias fiquem mais fortes também”, afirmou Ji-Hyeok “Birdring” Kim.

Na coletiva de imprensa após o confronto, jogadores e comissão técnica da London estavam paramentados com acessórios oficiais de campeões. Por baixo das jaquetas brilhantes, eles também vestiam camisetas da equipe decoradas com uma única estrela, um símbolo que marca este campeonato, o primeiro na história da Liga Overwatch.

O que ficou subentendido: ainda cabe muito mais.