Em uma manhã chuvosa de quinta-feira em janeiro, a Florida Mayhem se apinhou na sala principal do seu novo local de treino e imediatamente mostrou seus calçados: um conjunto de Nikes baixos com cadarços amarelos, acabamento vermelho e etiquetas traseiras com os dizeres “MAY” no pé esquerdo e “HEM” no direito. Esses tênis personalizados foram um presente de boas-vindas para os jogadores quando eles chegaram na nova base de treinamento em North Hollywood no início da semana. A ideia é clara: está na hora de se concentrar e encerrar a preparação para a temporada de 2019 da Liga Overwatch.

O influxo de novas equipes na Liga Overwatch gerou a necessidade de organizar treinos independentes este ano, em vez de dividir as salas relativamente apertadas da Blizzard Arena Los Angeles. O técnico da Mayhem Vytis “Mineral” Lasaitis é um grande fã dessa mudança. “É fundamental separar o trabalho do tempo livre e ter uma área ampla com janelas para ver luz natural”, afirma. “Dá para melhorar o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, embora seja um pouco difícil nos e-sports.”

O espaço, assim como o próprio elenco da Mayhem, está em processo de construção. O corredor que leva às duas salas de treino — uma para o elenco da Liga Overwatch e outra para a equipe de base da Mayhem — anda meio apertado por conta das caixas vazias, que antes abrigavam periféricos de computador. Não há salgadinhos nas prateleiras da cozinha nem objetos pessoais à mostra. A sala de treino ainda sem decoração gera um pouco de eco, amplificando a trilha sonora natural do jogo profissional: estalidos de teclado, cliques de mouse, reações exuberantes a jogadas tanto boas quanto ruins.

Ela tem cara de nova, e o novo é justamente o que a Mayhem quer.

“Dá até vontade de dizer que somos uma espécie de equipe nova, já que estamos chegando com um elenco quase completamente novo”, disse o DPS Kevin “Tviq” Lindström. Tviq é um dos três jogadores restantes do time de 2018, que encerrou a temporada com uma campanha de 7-33, junto com o outro DPS Jeong-Woo “Sayaplayer” Ha e o tanque principal Sung-Hoon “SNT” Kim (antes aWesomeGuy). Com cinco novos recrutas, todos coreanos, e outro jogador em um contrato duplo, a Mayhem não tem vergonha do rótulo de “reformulada”.

“É um desafio e tanto, porque temos que reformular o ambiente e montar uma nova base do zero, já que não podemos contar com entrosamento prévio”, disse Mineral. “Todos têm ideias diferentes, todos têm jeitos diferentes de encarar o jogo. Temos que combinar isso, e esse é o maior desafio.”

Ainda assim, ele considera o influxo de novas perspectivas uma vantagem, especialmente porque a maioria dos reforços é veterana. “Queremos dar a volta por cima rápido e, para isso, trouxemos jogadores com experiência, que já disputaram campeonatos, que já foram vencedores. Se você observar todo o elenco, temos uma série de veteranos da APEX, campeões da APEX, campeões do Contenders, gente que sabe jogar um campeonato.”

Prévia de equipe de 2019: Florida

Confira o que os analistas têm a dizer sobre o novo plantel da Mayhem.

Enquanto a equipe se preparava para as partidas de treinamento daquela manhã, toda essa experiência ficou evidente durante uma sessão de análise de vídeos especialmente animada, com um tradutor presente. O tanque principal Sang-Won “Swon” Yoon, uma figura tarimbada da APEX e do Contenders, foi bem franco. Jun-Su “Kris” Choe, que talvez seja o coreano da equipe que melhor fala inglês, conversava com Tviq e Damon “Apply” Conti.

SNT, que ainda está no elenco ativo mas decidiu assumir mais obrigações de treinador nesta temporada, apresentou alguns clipes instrutivos que compilou. “Neste momento, acho que isso é mais útil em termos de trazer vitórias para a equipe”, explicou ele. “Não temos muito tempo, mas estamos abordando isso como se estivéssemos começando de novo, então vamos nos concentrar na comunicação e organização da equipe.”

Embora equipes recém-formadas sempre exijam tempo e esmero para ganhar entrosamento, Tviq diz que está empolgado com o novo elenco e descreve a atmosfera de motivação como uma “lua-de-mel”.

“Acho que temos um grupo com muito mais sede de vitória do que na temporada passada, mesmo com o pouco tempo que passamos juntos”, acrescentou. “Eu acho que [os jogadores novos] sentem que queremos deixar bem claro que, este ano, não vamos fazer uma campanha de 7-33. Nós vamos chegar o mais longe possível e trabalhar o máximo possível para ir melhor do que no ano passado”.

“Está sendo meio corrido, mas dá para notar que estamos progredindo rápido, sem dúvida”, comentou Apply. Caçula da equipe e aposta num contrato duplo sem a experiência presencial dos companheiros, ele diz que está tentando absorver tudo desde que entrou na equipe, ao final da 3ª Temporada do Contenders. “Eu tenho que aprender rápido, e é isso que estou fazendo, perguntando muito, absorvendo todas as informações.”

Sayaplayer e SNT estavam na mesma posição não faz muito tempo, tendo entrado na Mayhem no meio de 2018. “A equipe ainda não estava completa, mas já estava meio entrosada sem mim, e eu tive que fazer de tudo para alcançá-los”, disse Sayaplayer. “Mas nesta temporada estamos todos juntos desde o começo, então é diferente, e por causa disso acho que há um senso maior de responsabilidade, da pressão de obter um resultado melhor do que na temporada passada.”

Apesar da pressão, SNT diz que está otimista com o novo grupo. “Conversei bastante com os nossos novos jogadores, troquei muita ideia com eles, e são todos ótimos. São bons garotos e amam o que fazem. Quero muito ir bem com esse elenco. Acho que temos que conversar uns com os outros para conseguir superar tudo, mesmo que seja difícil.”

A viagem da equipe para a Flórida, que veio após treinos intensivos na Coreia do Sul, certamente ajudou a aproximar o grupo. A segunda visita da organização ao seu futuro estado natal incluiu sessões com os fãs, pelo menos um encontro com um carro esportivo, jogos de tabuleiro e passeios de bicicleta.

“Ficamos todos surpresos com os dias bonitos”, disse Sayaplayer. “Eu disse [aos meus colegas] que o tempo não estaria muito bom, mas acabou fazendo sol, e eles me zoaram. Além disso, é no litoral, então vimos coisas como pássaros e eles ficavam dizendo: ‘Nossa, não tem pássaro tão grande assim na Coreia’”.

De volta à sala de treino espartana, com o tlec-tlec dos teclados imitando o tamborilar da chuva lá fora, os jogadores não poderiam estar mais distantes das memórias ensolaradas da Flórida. Os toques pessoais virão a seu tempo, e o gerente geral Matt Akhavan Kim pretende dar a cada um dos jogadores uma planta para cuidar, um pouco de verde terapêutico para contrabalançar as horas de treino.

As melhorias em jogo também virão — e em breve, esperam. A Mayhem não é a única equipe na liga que está fazendo grandes mudanças para tentar se alçar a outro patamar. Mas o time está se acertando, um dia de cada vez, e este ano vai começar com todos no mesmo pé. Juntos, eles aguardam ansiosos dias mais ensolarados.

Fotos de Margaret Lee.

A Mayhem estreia na temporada em 15 de fevereiro, sexta-feira, às 23h30 (horário de Brasília), contra a Atlanta Reign. Acompanhe tudo ao vivo ou quando você quiser em overwatchleague.com, no aplicativo da Liga Overwatch, em nosso canal na Twitch, em MLG.com e no aplicativo da MLG.