Alguém aí lembra de uma semana de Overwatch mais maluca que essa? Quando as portas se abriram na quinta-feira, a New York Excelsior e a Vancouver Titans estavam quase garantindo os títulos das Divisões do Atlântico e do Pacífico e a Shanghai tinha se recuperado da derrota para a Titans. O primeiro confronto do dia acabou com uma típica vitória da Spitfire sobre a Charge.

Daí em diante, tudo virou de cabeça para baixo. A Toronto Defiant surpreendeu e venceu a Dragons. Depois, a Florida Mayhem derrotou a Spitfire. Quando a semana terminou, a Titans e a NYXL tinham sofrido suas primeiras lavadas, respectivamente para a Washington Justice e a Chengdu Hunters. Ó 4ª Fase, teu nome é Caos.

Mas isso fez diferença, no fim das contas?

Essa pergunta é mais difícil de responder do que parece.

Durante as três primeiras fases da temporada, a tabela da Liga Overwatch ficou bem dividida entre topo e rabeira. Isso quer dizer que há equipes já classificadas para os playoffs (Titans, NYXL e San Francisco Shock se garantiram entre as seis primeiras) e, na outra ponta, Defiant, Justice e Mayhem só podem estragar os planos das outras equipes na briga e nada mais. Para esses dois grupos, a resposta à pergunta “essa semana fez diferença?” é um sonoro... não.

Já para o resto da Liga, a resposta é bem diferente. As outras três vagas diretas para os playoffs ainda estão em aberto, e toda equipe não eliminada ou classificada tem chances, por menores que sejam, de chegar à repescagem.

A próxima pergunta é: quais são essas chances?

Para responder, usei o Elo da Liga Overwatch (OLE) para obter um modelo de simulação dos placares do resto da temporada e deduzir a probabilidade de classificação para os playoffs a partir dos resultados dessa simulação. O OLE não somente oferece um ponto de partida para medir a força de uma equipe em um meta específico, como também uma referência de como ela pode progredir no resto dos seus confrontos. A simulação não deveria esperar que a Justice surpreendesse contra a Titans (e não esperou mesmo: a Titans vencia em 89% dos resultados previstos), mas deveria saber que, caso uma zebra ocorresse, precisaria reavaliar a força da Justice em seus resultados hipotéticos (e reavaliou: a Justice roubou quase 134 de Elo da Titans com a vitória).

Ranking Elo preguiçoso de poder: Mestre(s)? Nem sei quem é

Ainda bem que posso automatizar isso, porque deus me livre de tentar fazer rankings de cabeça essa semana. Foi uma semana excepcional para a Justice, a Charge, a Defiant e a Mayhem. No entanto, 3/4 dessas equipes estão eliminadas dos playoffs pic.twitter.com/ibHs46ZbzW

— Ben Trautman (@CaptainPlanetOW) 5 de agosto de 2019

O exemplo acima serve de motivo para usar OLE como modelo de avaliação de resultados futuros, em vez de tirar no cara ou coroa. Embora seja possível que a Boston Uprising vença o resto dos seus confrontos e entre de fininho no G12, o OLE é menos otimista quanto a essas chances em comparação com um cara ou coroa sem peso nenhum a cada rodada. O OLE também pode prever resultados de confrontos usando uma simulação Monte Carlo, que é essencialmente uma forma de calcular as probabilidades brutas simulando milhares (ou, no caso, dezenas de milhares) de placares e representá-los como um percentual de um total agregado enorme.

Aplicar uma simulação Monte Carlo a todo o resto do calendário, além de avaliar situações de desempate, é muito mais complicado do que simular um confronto específico. Mas essas coisas são legais, então eu fiz só pra vocês. Conheçam a Simulação da Soma de Resultados da Liga Overwatch, ou SORLO. Nesse sistema, 100.000 resultados SORLO serão usados para avaliar as probabilidades de colocação de cada equipe na temporada ao final da 4ª Fase.

Eu ativei a SORLO em segredo no começo da semana, o que significa que podemos comparar como a loucura da 2º Semana mudou o panorama da liga. Primeiro, vamos comparar a classificação média projetada de cada equipe no começo da semana com a posição dela após uma das semanas mais cheias de zebras que a Liga já viu:

Equipe Classificação média proj.: final da 3º Semana Classificação média proj.: início da 3º Semana Ganho/perda (quanto menor, melhor)
Titans 1,24 1,21 0,03
NXYL 2,15 2,14 0,01
Shock 2,6 2,84 -0,24
Gladiators 5,45 5,8 -0,35
Spitfire 5,91 6,24 -0,33
Spark 6,51 5,97 0,54
Dynasty 7,74 8,61 -0,87
Fusion 7,99 9,56 -1,57
Dragons 8,52 7,8 0,72
Reign 9,54 11,33 -1,79
Charge 11,16 10,95 0,21
Hunters 11,29 11,5 -0,21
Valiant 13,1 13,03 0,07
Fuel 13,13 12,4 0,73
Outlaws 15,61 14,31 1,3
Eternal 16,11 14,55 1,56
Uprising 16,03 16,15 -0,12
Defiant 17,13 17,14 -0,01
Justice 18,89 19,22 -0,33
Mayhem 19,87 19,6 0,27

Logo de cara, duas coisas ficam evidentes: as equipes no topo e na rabeira ficaram na mesma e dois pares de equipes do Atlântico podem ter tido uma reviravolta na semana do caos. Primeiro a parte boa: após perder dois mapas de desempate acirrados na 1ª Semana, a Philadelphia se recuperou vencendo a Houston por 3 a 1 e a Toronto no sufoco por 3 a 2. As duas vitórias catapultaram sua classificação média projetada (CMP) para 7,99, uma melhoria de mais de uma posição e meia. Derrotar a Houston também deu uma vantagem definitiva no critério de confronto direto, caso as duas equipes terminem a temporada com o mesmo saldo de confrontos e mapas. Se as duas tivessem dividido as vitórias nos confrontos diretos (a Philadelphia venceu a Houston antes por 4 a 0 na 2ª Fase), elas teriam que disputar uma partida de tira-teima para definir suas posições finais!*

*A Shanghai e a Guangzhou podem acabar nessa situação se empatarem nos confrontos diretos com o mesmo placar de mapas.

Falando em vencer a Houston, a Reign fez isso também e destruiu qualquer chance da adversária caso dependam do desempate nesse quesito. A Reign agora tem uma sequência de cinco vitórias desde seu Homestand e melhorou sua CMP em quase duas posições em apenas uma semana. A última equipe com uma boa subida foi a Seoul, que só jogou um confronto, contra a Valiant, e melhorou sua CMP em 0,87, também saindo na frente da Valiant nos confrontos diretos da temporada. A CMP da Valiant não mudou drasticamente porque a equipe disputou mais um confronto e derrotou a Fuel (cuja CMP piorou).

Agora, as más notícias. A melhoria nas perspectivas da Reign e da Fusion na temporada veio às custas da Outlaws e da Eternal, cujas CMPs aumentaram mais de um posição inteira. Eu mencionei antes que, ao perder para as rivais de Divisão, a Houston essencialmente ficou para trás em dois possíveis desempates em uma única semana. A Paris também perdeu um de seus desempates após ser atropelada pela Reign.

Apesar de toda a desolação, a Eternal e a Outlaws ainda têm chances. A CMP, afinal, só revela uma pequena parte da história. Vamos nos distanciar um pouco mais para ter uma visão geral de como cada equipe deve ficar, de acordo com seus resultados na SORLO:

img1.png
Probabilidade relativa de cada equipe atingir cada classificação individual para os playoffs. O tamanho do círculo corresponde à probabilidade de atingir a posição, e as legendas indicam a classificação média para os playoffs.

Os torcedores da Houston e da Paris vão apertar os olhos e provavelmente pensar: “Então quer dizer que há esperanças?”. Essa visualização mostra o quanto as posições do 4º ao 12º lugar ainda estão incertas. Embora Gladiators, Spitfire e Spark ainda sejam as favoritas para garantir as outras vagas do G6, Dynasty, Fusion, Dragons e a emergente Reign ainda têm chances reais de evitar a repescagem.

Suas chances também vão na outra direção, quando nos aproximamos da linha de corte para a repescagem. É muitíssimo provável que equipes como Spark, Seoul, Fusion etc. cheguem pelo menos entre as doze primeiras, mas ainda há situações em que elas ficam para trás. É nesses raros casos que equipes como Houston, Boston e Paris ainda podem abrir caminho até a repescagem, prontas para fazer uma última tentativa de entrar nos playoffs da temporada.

Agora vocês devem estar pensando o seguinte: essas situações são muito raras? Apresentei abaixo as probabilidades SORLO de cada equipe terminar a temporada regular no G6 ou G12:

img2.png
Probabilidade de cada equipe terminar a temporada regular entre as seis ou as doze primeiras.

Seus olhos não estão te enganando: não só Boston, Houston e Paris ainda têm chances de terminar no G12, como Dallas, Chengdu e Guangzhou ainda podem até entrar no G6! A mais improvável dessas três, a Dallas, termina no G6 em 83 dos 100.000 resultados da SORLO, uma chance de 0,1% (arredondando para cima). Para conseguir isso, a equipe precisa que uma lista hilária de coisas aconteçam a seu favor, incluindo:

1. A Spitfire e a Gladiators percam todos os seus confrontos restantes.

2. A Fuel vença todos os seus confrontos restantes e também aumente o saldo de mapas de -14 e supere o saldo de +9 da Spitfire ou o de +17 da Gladiators.

3. A Fusion só vença no máximo mais um confronto.

4. A Dynasty só vença no máximo mais um confronto.

5. A Spark ou a Dragons vença três ou mais confrontos (mas não as duas).

Assim como a Dallas e outras equipes com sonhos de G6, a Paris tem uma chancezinha de ainda chegar à repescagem. Dos 100.000 resultados da SORLO, a Eternal chega entre as doze primeiras em 263. Essa é uma lista parcial de coisas hilárias pelas quais a equipe precisa torcer para chegar lá:

1. A Eternal vencer todos os seus confrontos restantes.

2. A Uprising não vencer nenhum dos seus confrontos restantes.

3. A Hunters não vencer nenhum dos seus confrontos restantes.

4. A Fuel e a Valiant perderem três dos seus confrontos restantes.

Há caminhos alternativos que envolvem a Charge perdendo todos os seus confrontos restantes. Esse é o poder da SORLO: não tenho que imaginar cada situação possível que o resto da temporada pode gerar. Em vez disso, eu pergunto educadamente à SORLO o que ela acha 100.000 vezes e, com isso, até o mais raro dos resultados pode acontecer pelo menos uma vez. O meio da tabela ainda está em aberto e estou empolgado para ver a corrida apertar na reta final da temporada regular de 2019.

Assista a todos os confrontos da temporada de 2019, ao vivo ou quando você quiser, em overwatchleague.com, no aplicativo da Liga Overwatch, em nosso canal na Twitch, em MLG.com e no aplicativo da MLG.